Blogger templates

Monday, 27 August 2012

Contos: Amigo Nerd‏


Meu nome é Marcos, sou de Salvador, tenho 23 anos. Vou contar uma história que aconteceu recentemente:Há pouco tempo recebemos na loja a visita de um rapaz recém contratado pra área de tecnologia que faz desenvolvimento de software para a empresa. O nome dele é Davi. Um cara bem gostoso, mas não é gostoso malhadão e definido. Ele tem um corpo normal, mas tem uma cara de Nerd e usa óculos com a haste preta e grossa. Ele também é bem envergonhado, conversa muito pouco com as pessoas e prefere passar o horário de almoço mexendo no seu smartphone. Depois de observar bastante, resolvi puxar um papo com ele e vi que ele não tinha muitos amigos, mas tem bastante contato profissional, pessoas que ele troca bastante e-mails, mas não é de ficar saindo pra baladas. Do nada começamos a falar sobre jogos, uma área que ele domina bastante e que me contou vira a noite jogando online com os colegas virtuais. Eu perguntei se a namorada dele não se importava dele ficar até altas horas jogando e ele me disse que não tinha namorada, mas senti que ele ficou completamente sem jeito, eu continuei puxando a conversa até ele me dizer que a ultima vez que ele transou tinha uns 4 anos e foi com uma garota de programa, pois ele é muito retraído e não tem coragem de chegar numa mulher, até chegou a me perguntar se eu não tinha uma colega pra apresentá-lo, mas eu disse que não.
Depois de mais algumas semanas chamei ele pra sair, marcamos de ir numa boate pra que ele possa se distrair mais, ao invés de ficar em casa jogando. Fomos pra boate, mas ele não conseguiu chegar em nenhuma das que ele chamava de "gostosa". Após alguns copos de cerveja reparei que ele já estava meio tonto e não conseguia controlar muito bem o seu estado e vi um volume muito grande na calça dele. Parecia um cavalo no cio! Até que eu resolvi chamá-lo pra ir pra casa e ele aceitou sem problemas. Como ele morava mais perto de onde estávamos e já era tarde, pegamos um táxi e fomos.
Chegamos no apartamento dele que era bem organizado pra um cara que morava só. Tinha uma TV enorme na parede e 3 consoles de videogame no Rack. Sentamos no sofá e ele perguntou se eu queria jogar um pouco, ele ligou o aparelho e eu fiquei observando ele jogar. Pedi pra trocar o jogo e ele disse pra que eu abrisse a gaveta e pegasse os jogos, mas pra ter cuidado pra não bagunçar a ordem alfabética, porém na parte de trás eu vi que tinham bastante filmes pornô, então eu peguei e pedi pra ele trocar e colocar esse jogo. Ele riu muito sem jeito e disse que achava melhor não, que ele nunca assistiu filmes com alguém. Eu pedi pra ele relaxar e por o filme.
O filme não era dos melhores, mas era de sexo anal, eu perguntei se ele gostava de comer um cú e ele me disse que nunca havia comido um, mas achava que deveria ser muito bom pois deve ser mais apertadinho. Continuamos assistindo o filme até a hora em que notei o grande volume na sua calça, eu não conseguia mais prestar atenção no filme e ele nem me via mais. Eu pus o meu pau pra fora pra deixar-lo mais a vontade de fazer o mesmo, ao me ver assim ele perguntou o que eu estava fazendo, como se ele não soubesse não é?
Eu simplesmente respondi que ele também deveria ficar a vontade e ele o fez. Nossa! Era um pau muito grosso, cheio de veias latejando e a mão dele quase não fechava naquela pica maravilhosa que já estava toda babada. Ele ficou se masturbando e os seus olhos nem piscavam. Eu fiquei por um tempo admirando aquele cacete duro e grosso imaginando como seria o gosto daquele pau branco com a cabeça rosada... Até que eu não aguentei, me levantei e sentei ao lado dele que já estava quase num gozo. Eu segurei o seu braço e disse que ainda estava muito cedo pra isso. Ele fez uma cara de espanto, acho que nem havia visto que eu sentava ao seu lado de tão empolgado com a bronha. Desci de boca no seu pau e nunca vi um homem gemer de tanto prazer. Engoli como pude aquele pau como se fosse a ultima coisa que eu estivesse fazendo na minha vida! Chupei muito e deixei ele inteiro babado. Chupei o saco que estava bem depiladinho...E que saco! Era bem grande e preenchia a minha boca inteira. Ele se contorcia de prazer e pedia pra eu continuar. Ajoelhei na frente dele e fiz um boquete maravilhoso, engasgando com aquele cacetão na minha garganta, até a hora que ele segurou a minha cabeça com força, puxou contra o seu corpo e derramou tanto leite na minha boca que eu pensei que iria morrer sufocado! Não consegui engolir tudo pois ainda estava com o seu pau na garganta e o excesso do seu gozo escorreu pelo canto da minha boca e pingou no sofá!
Após essa esporrada na minha boca ele ficou todo vermelho e com a respiração ofegante. Ao recuperar o fôlego ele me disse que não era gay e que nunca havia transado com um homem. Então eu respondi que não tinha problema nenhum ele fazer isso, e que transar comigo não fazia dele gay, que ele estava apenas experimentando, e que pelo visto tinha gostado e muito. Por um tempo ele ficou calado e pensativo, e não sei se foi o filme que continuava rolando ou se foi o tesão do que tinha acabado de acontecer que ele ficou novamente excitado, me abaixei na sua frente e fiquei olhando fixo pra ele. Desci lentamente até o seu pau e engoli ele de novo até o fim, ao tirá-lo da boca perguntei se ele queria que eu fosse embora. Ele apenas balançou a cabeça que não e pediu pra que eu continuasse. Eu não falei mais nada e continuei o meu trabalho oral, após uns cinco minutos assim meu cú estava doido pra engolir o cacete dele, peguei uma camisinha no bolso da minha calça e o sachê de gel lubrificante que eu levo sempre pra uma "emergência". Encapei com dificuldade o seu pau grosso, lambuzei com o gel e fui sentando aos poucos. Ele segurava na minha cintura tão forte que chegava a doer, parecia que ele não queria deixar que eu fugisse, como se eu quisesse isso! rsrs
Continuei relaxando o meu cuzinho até sentir que não tinha mais nada pra entrar em mim, nossa! Era uma sensação tão gostosa aquele Nerd enfiado em mim! Ele abria a boca para soltar um gemido que não saia e fiquei pensando se ele já estaria gozando. Perguntei se estava tudo bem e ele me disse que não sabia que comer um cú de homem seria tão gostoso assim. Eu continuei fazendo um vai-e-vem bem devagar e fui aumentando lentamente até ficarmos no mesmo ritmo.
Depois fiquei de quatro no sofá e pedi pra ele me foder do jeito que ele quisesse, e ele o fez. Enfiou todo de uma vez na minha bundinha que já estava ficando assada de tanta estocada que ele dava, eu gemia e meu pau permanecia duro como uma rocha sentindo todo o prazer que aquele pau grosso estava me dando. Ele abria a minha bunda para que o seu pau se alojasse inteiro dentro de mim, era uma dor tão gostosa que senti espasmos no meu corpo e eu gemia e implorava pelo seu pau! Sentia cada centímetro entrando e saindo de mim e eu me agarrava ao braço do sofá tentando me conter de prazer para não gozar tão depressa. Ele passava aquela língua quente no meu pescoço e eu empinava a minha bundinha para ter mais dele bem lá no fundo! Eu me sentia uma vagabunda dando pra ele. Até que ele disse que não estava aguentando mais e que queria gozar. Eu pedi que ele gozasse e ele continuou metendo em mim até soltar um gemido no pé da minha orelha e largou o seu peso nas minhas costas. Ao olhar pro meu pau eu vi que tinha sentido alguns orgasmos e já estava todo melado de porra sem ao menos me masturbar. Foi muito gostoso!
Depois disso fomos para o banheiro, tomamos um banho e fomos dormir. Ele me mostrou um quarto que era pra visitas e eu me deitei lá, mas com uma vontade imensa de dormir junto com ele, e ele foi pro quarto dele e trancou a porta. Eu deixei a porta do quarto aberta e como estava calor dormi nú, imaginando dele passar a noite pra "beber água" e me foder de novo, mas isso não aconteceu. Quando acordei na manhã do domingo, peguei o meu celular e marcava 10:50, ele estava na sala jogando video game. Ao ver que eu me aproximei ele pausou o jogo e pediu que eu me sentasse.
Sentei no sofá ele disse que ficou envergonhado pelo que havia acontecido na noite passada, que ele não sabe o que deu nele, se foi bebida ou se foi vontade mesmo, mas ele queria pensar e que eu guardasse segredo, pois não gostaria de pelo menos por enquanto que alguém ficasse perguntando sobre a sexualidade dele. Eu me mostrei compreensivo e agradeci pela noite, falei que ele saberia onde me encontrar, peguei as minhas coisas, me despedi e fui embora. Mas ao chegar na saída do prédio meu celular tocou e ele perguntou se eu não tinha esquecido de alguma coisa, eu disse que não dando uma ligeira verificada nos bolsos e ele pediu pra que eu voltasse. Vocês podem ter imaginado o que aconteceu...

0 comments:

Post a Comment